Skip
A carregar Destaques

Concerto “Claude Bolling – Suite para Flauta e Trio de Jazz”

A Biblioteca Pública e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro acolhe o concerto “Claude Bolling – Suite para Flauta e Trio de Jazz”, com os músicos Rodrigo Lima, Antonella Barleta, Paulo Cunha e Luís Costa, em homenagem a Claude Bolling.

Claude Bolling foi um reconhecido pianista, compositor e arranjador francês, tendo ainda sido uma figura importante no reavivamento do jazz tradicional em 1960. Ganhou o estrelato com a “Suite para Flauta e Trio Jazz”, com Jean-Pierre Rampal, numa mistura de elegância barroca e ritmos modernos.

A reprodução deste projeto foi uma sugestão de Pedro Machado (Myrica Faya) a Rodrigo Lima que prontamente reuniu o grupo de músicos, unindo a natureza clássica do mesmo, à experiência no jazz de Antonella e Paulo e à versatilidade do jovem Luís.

A suite inclui sete andamentos distintos que apresentam uma grande variedade de elementos de estilo do século XVIII, conjugados com elementos harmónicos, melódicos e rítmicos do jazz, de século XX, com vista à potenciação de um momento descontraído e expressivo.

A participação neste concerto será mediante inscrição prévia, através do número 295 401 000 ou enviando um e-mail com o seu nome e contacto para: comunicacao.bparlsr@azores.gov.pt (inscrições limitadas).

 

Notas Biográficas dos Músicos:

 

Rodrigo Manuel dos Santos Lima

Natural da freguesia de Santa Cruz, Praia da Vitória, iniciou os seus estudos musicais aos 9 anos de idade na Filarmónica União Praiense e, dois anos mais tarde, o Curso Complementar de Música no Conservatório Regional de Angra do Heroísmo, concluindo-o em 2002. Na sua atividade musical destacam-se recitais com guitarra clássica, piano e concertos com a Orquestra do Teatro Angrense, Sexteto do Teatro Angrense, Lira Açoriana, Orquestra Juvenil da Terceira, como solista, Orquestra Sinfónica Juvenil de Lisboa, Horta Camarata, Orquestra Angra Jazz e Orquestra Académica Metropolitana de Lisboa. Foi músico convidado da Orquestra Metropolitana de Lisboa. Integrou o projeto desenvolvido pela direção regional das Comunidades intitulado “Música em Viagem” com digressão nos Estados Unidos. Em 2009 e 2010, foi nomeado para desempenhar o cargo de 1ª Flauta na Orquestra dos Açores, em obras como “Criação” de Haydn e a famosa 9ª Sinfonia de Beethoven. Efetuou master classes com Nuno Inácio, Claudi Arimani e Trevor Wye.

Concluiu a Licenciatura em Instrumentista de Orquestra, na especialidade de Flauta Transversal, na Academia Nacional Superior de Orquestra, na Classe de Flauta do Professor Nuno Inácio, em 17 de setembro de 2008. Atualmente, é Professor da Classe de Flauta Transversal na Escola Francisco Ornelas da Câmara, Praia da Vitória.

 

Antonella Barletta

Natural de Bari (Itália), frequentou o “Conservatório Niccoló Piccinni” daquela cidade, onde se diplomou em piano em 1996 na classe da  professora Annamaria Sallustio. Desde 1996 desenvolve uma intensa atividade concertista como pianista acompanhadora de cantores e coros e em várias formações de música da câmara. De 1998 a 1999 frequentou a ”Accademia Pescarese” aperfeiçoando-se com o Maestro Paolo Bordoni considerado um dos maiores intérpretes de Schubert do panorama internacional. No mesmo ano frequentou o curso de especialização em Música da Câmara no “Conservatorio N. Piccinni”, sob direcção do violoncelista diretor da orquestra Vito Paternoster.  Desde sempre afincou ao estudo da música clássica o Jazz, frequentando em 1996 o curso superior no Conservatório “N. Piccinni” e estudando com o pianista Davide Santorsola (vencedor do primeiro prémio na International Piano Competition, Ibla Grand Prize, Section G. Gershwin Award-1996).

Desde 2010 é pianista residente da “Orquestra Angra Jazz” dirigida pelo saxofonista português Pedro Moreira e pelo trombonista dinamarquês, Claus Nymark. Em 2013 fundou o Wave Jazz Ensemble, um grupo de música jazz que junta ao standard, a execução de originais e músicas tradicionais açorianas em estilo jazzístico. Em 2015 participou, na qualidade de pianista, na missa de cena “Donna di porto Pin” do escritor italiano Antonio Tabucchi. O espetáculo pelo realizador e ator português Fernando Mora Ramos com a companhia de Teatro da Rainha e com músicas do compositor Carlos Alberto Augusto, foi representado na ilha Graciosa e nasceu de uma ideia do cenógrafo italiano Franco Ceraolo que então o organizou.

Desde 2009 ensina no Conservatório Regional de Angra do Heroísmo, Arquipélago doa Açores, Portugal. Atualmente frequenta o último ano do curso de mestrado em Música (performance), ramo jazz, na “Escola Superior de Musica” de Lisboa onde estuda com o pianista português João Paulo Esteves da Silva.

 

Luís Miguel Ormonde da Costa

Natural da Ilha Terceira, Santa Cruz da Praia da Vitória, iniciou os estudos musicais na Filarmónica União Praiense com 7 anos de idade, estando na instituição 10 anos. Ao longo do percurso musical, além da formação ganha pela filarmónica, foi frequentador de vários workshops e formações com intuito de aprimorar a sua técnica. Frequentou em 2016 a formação “Toc’a Musica” no instrumento de percussão, lecionado pelo professor Nuno Pinheiro, e dirigido pelo maestro Henrique Piloto. No ano seguinte, tomou conhecimentos na mesma formação “Toc’a Musica”, pelo maestro Henrique Piloto, e, desta vez, orientada pelo professor de percussão João Duarte. No ano de 2017, concorreu a Orquestra Regional Lira Açoreana, sendo aceite para o biénio de 2017/2018 após fazer provas, onde foi dirigido pelo maestro Alberto Roque, e tendo como professor de percussão, numa primeira formação, o professor Pedro Fernandes, e numa segunda formação o professor Marco Fernandes. Neste momento, é percussionista em três filarmónicas da Ilha Terceira, ajudando pontualmente inúmeras outras, e do grupo Bel Cantus. Tendo como atuações mais relevantes destaca-se o concerto com a Orquestra Regional Lira Açoriana com a presença do Ex. Sr. Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa em 2017, e no mesmo ano, com o grupo Bel Cantus contando, novamente, com a presença do Ex. Sr. Presidente da República. Também é de salientar a atuação do grupo Bel Cantus juntos das comunidades emigrantes em Tulare, Estados Unidos da América, e em Toronto, Canadá. Atualmente é estudante de Educação Musical na Escola Superior de Educação, no Porto.

 

Paulo Cunha

Nasceu em Angra do Heroísmo em 1973, e aos 14 anos decide iniciar os estudos musicais no Conservatório Regional de Angra do Heroísmo em viola da terra. Até partir para Lisboa em finais de 91, frequenta as cadeiras de formação musical e guitarra clássica, participa em grupos de folclore, ingressa no grupo de musica popular Cantinho da Terceira de Luis Gil Bettencourt, com atuações no país e no Brasil, e participa em workshops de Jazz ministrado pelo quarteto Mário Laginha e pelo quinteto Moreira Jazztet. Possui aptidão para o rock em ingressa na banda Chilli Mozart, que tem como momento alto a Semana do Mar 94 na Horta. Em Lisboa é cofundador da Tuna Académica da Casa dos Açores como magister ao lado do então estudante de composição Antero Ávila. Desenvolve o gosto pelo Jazz e Bossa Nova, e por outros géneros musicais. Em 2000, depois de regressar aos Açores, na banda de rock agora sob o nome de Enuma Elish, vence o concurso e participa no festival Angra Rock junto de Clã, GNR, Moonspell, Tarântula e dos açorianos Morbid Death. Foi guitarrista e músico fundador da Orquestra Angra jazz desde meados de 2002, até 2013 que, desde então é contrabaixista, coletivo este com que abre regularmente o Festival Internacional Angra Jazz. Participa em vários projetos de por/rock e em 2003 participa como baixista na “’Opereta Dia de São Vapor”’ de Luis Gil Bettencourt. Integra o quinteto Victor Castro género jazz/bossa nova, e em 2004/2005, fica a cargo da pós-produção áudio e banda sonora dos Enuma Elish, na curta-metragem “Ad Infinitum” de Rogério Sousa e Tiago Castro realizada em Angra do Heroísmo. Em meados de 2005, com os Enuma Elish tem como momento alto a participação na 1.ª Maratona de Rock de Ponta Delgada. Junto de Victor Castro, cria o espetáculo multimédia “Tributo a Carlos Paredes” em 2005 com texto de abertura do ex-ministro da república Álvaro Laborinho Lúcio. Com notoriedade a nível dos Açores, o tributo tem como momento alto a apresentação no Brasil em Maio de 2006 e o reconhecimento pessoal de Luísa Amaro. De 2007 a 2013, foi guitarrista do Festival Infantil “Sol Menor”, com arranjos de Antero Ávila. Desde 2009, integra como baixista o Bossa Quintet, género bossa nova, mpb e samba, destacando-se a participação na 6ª edição do Festival Internacional “O Mundo Aqui”. Como guitarrista, integrou o Susana Coelho Trio de 2009 a 2011 tendo como destaque a participação nas comemorações do Dia da Região. Desde finais de 2010 integra o projeto BWF do cantautor Bruno Walter Ferreira de repertório original, com destaque para a gravação de um CD ao vivo e para a abertura da 12ª edição do Festival Internacional Santa Maria Blues. Desde 2011 integra como baixista os Wave Jazz Ensemble, com destaque para a reinterpretação do tema “O Sol” no Festival Angra Jazz 2013. Em janeiro de 2014, concebe e produz o espetáculo “’noite a tr3s”’ com as bandas BWF, Wave e Bossa Quintet, com cenografia do artista plástico terceirense “’Sissinho”’ e projeção “videomapping” no Auditório do Ramo Grande. Acompanhou à guitarra a vocalista Sara Miguel em duo, de 2014 a 2015, e no contrabaixo integrou o Sara Miguel Quinteto na ultima metade de 2015. Integra desde meados de 2015, a Dr. Vi Band, como guitarrista, junto do violinista Viorel Taranu. Participou como baixista convidado do Tributo aos Queen, pelo Coro Pactis e Orquestra de Sopros da lha Terceira e colaborou com “’Sissinho”’ na galeria de arte eco sustentável Re.Act em 2015, onde promoveu as comemorações do Dia Mundial do Jazz com bandas de jazz locais. Desde meados de 2017 que acompanha com alguma regularidade o projeto de fado, Fábio Ourique e os Sombras do Fado. Regressou ao conservatório em finais de 2014 e desde então, estuda Contrabaixo, Guitarra e Formação Musical.

Desde 2017 que toca com Isabel Mesquita, Sofia Dutra, João da Ilha, Emanuel Bettencourt e o britânico Tom Hamilton, em minitournées açorianas. Estreou, a meados de 2019, como baixista, o projeto local The Red Hot Tribute (tributo aos Red Hot Chilli Peppers).

 

Detalhes

Data:
4 Dezembro
Hora:
21:30 - 22:30
Categoria de Evento:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*